Buscar
  • Roberto Alves

Sanção da Lei 13.441/17, que fortalece o combate a crimes sexuais infantis é uma vitória do Brasil,


A Lei 13.441/17 reforça o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), normatizando a ação de agentes policiais disfarçados em redes sociais e fóruns de internet, para fins de investigação sobre a exploração sexual infantil, tráfico humano e pedofilia na rede mundial de computadores.

O trabalho da polícia na internet já é conhecido pela Justiça e amparado pela ‘Lei das Organizações Criminosas’, porém, nem sempre os pedófilos, exploradores e traficantes agem em quadrilhas, o que acabava gerando um vácuo normativo.

Além de amparar legalmente a infiltração policial virtual e a colheita de provas digitais, a Lei 13.441/17 garante proteção ao agente em ação, pois ratifica que ele não será responsabilizado judicialmente caso cometa algum crime a fim de preservar seu disfarce e sua investigação.

Roberto Alves destacou que a lei sancionada permitirá que a polícia esteja um passo à frente das quadrilhas que operam às sombras, em grupos fechados em redes sociais e em fóruns de internet.

“Essa lei veio reforçar a segurança na internet, onde as crianças e adolescentes estão mais vulneráveis. Muitos bandidos usam perfis falsos, usam fotos de meninos e meninas apenas como isca. E como agem na internet e utilizam mecanismos avançados de camuflagem, o trabalho do policial disfarçado é fundamental hoje em dia”, destacou.

0 visualização0 comentário